Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
Facebook Jornal Evolução       (47) 3059-1228       Whatsapp Jornal Evolução (47) 99660-9995       E-mail

BERNUNÇA – A ORIGEM DA CRIATURA


 Adriano Besen  

Que o folclore brasileiro é de uma riqueza incrível, isso todos já sabem. Essas diversas manifestações folclóricas dão-se por meio de Mitos, Lendas, Canções, Danças, Artesanatos, Festas Populares, Brincadeiras, Jogos, Comidas Típicas, etc. Uma das espetaculares facetas do folclore são os Folguedos, que são festas populares de espírito lúdico que em geral são realizadas anualmente. Os Folguedos trazem em suas apresentações cantorias e danças dramatizadas, com personagens que se movimentam atuando em encenações teatrais, mostrando os costumes e tradições de diversas regiões do Brasil.

No litoral catarinense é praticado o tradicional Folguedo do Boi de Mamão. A cultura da dança ou brincadeira do Boi está difundida em todo o território brasileiro (e até em outros países), e de acordo com a região, esses folguedos recebem outros nomes; assim como as suas danças, músicas, encenações e personagens. O Folguedo do Boi de Mamão é inspirado em elementos da cultura europeia (Península Ibérica), africana e indígena, em aspectos geográficos, históricos e em personagens mitológicos.

No caso do Boi de Mamão, é um resultado da mistura de culturas. Um produto genuinamente catarinense. Foi introduzido pelos primeiros povos colonizadores do litoral catarinense. Com o passar do tempo, sofreu mutações, agregando novos elementos (personagens, músicas, ritmos, danças, etc.). O tema principal da dramatização ainda permanece o mesmo desde sua origem; trata-se de uma encenação que conta a história de um boi de estimação que morre, para o desespero do dono (o Cavaleiro ou Vaqueiro). Mas no final da encenação, o boi volta à vida. O principal personagem é o boi, abordando o tema da morte e ressurreição.

Dos personagens que compõe o Boi de Mamão, além do próprio Boi, inicialmente tinha o Cavaleiro, a Cabra, a Maricota e a Bernunça. Depois de um tempo, foram acrescentado outros personagens ao Folguedo. Cada personagem tem uma fácil definição, mas o personagem de nome Bernunça é o mais intrigante. O que é ou de onde vem a Bernunça? Visivelmente é um ser mitológico, fêmea, que segundo as canções do Folguedo do Boi de Mamão, come de tudo, inclusive os humanos.

 

 

Resolvi pesquisar sobre a Bernunça, pois se sabe quase nada sobre a sua origem, ou de onde veio a inspiração para criar ou recriar tal personagem. Alguns acreditam, que a Bernunça teria sido introduzida no Boi de Mamão pela primeira vez na cidade de Itajaí, por um cidadão que resolveu acrescentar uma criatura com uma cabeça que lembra a de um grande crocodilo. E essa criatura com dentes enormes, comeria pessoas.

Os outros personagens são naturalmente de fácil compreensão na fantasia do Folguedo. O Cavaleiro (ou Vaqueiro) é um homem montado em seu cavalo, e é o dono do Boi; a Cabra é um animal que vive na mesma fazenda do Boi e durante a encenação do Folguedo, tenta tomar o lugar do Boi enquanto ele está morto. A Maricota é uma mulher alta, magra e desengonçada, que quando dança girando, bate com as mãos na cabeça das pessoas que estão por perto. E a temida Bernunça, circula pelo Folguedo tentando comer crianças malcriadas e os adultos pecadores. Ainda tem outros personagens que foram acrescentados depois (em algumas regiões), como: o Urso Preto, o Urso Branco, o Urubu, o Papagaio, etc.

Mas a minha pesquisa é sobre a Bernunça; então vamos lá... Dizem erroneamente alguns “entendidos” de folclore, que a Bernunça seria um Dragão. Quem pesquisar um pouco sobre dragões, verá que não há um só dragão que tenha qualquer semelhança com a Bernunça. Essa “teoria” do dragão foi convenientemente adotada por quem não fazia ideia de como explicar a origem desse intrigante personagem do Boi de Mamão. A Bernunça, definitivamente não é um dragão, e muito menos um jacaré.

A pesquisa me conduziu até o passado da Península Ibérica, de onde teria vindo a cultura do Folguedo do Boi, descobri que aquela região foi fortemente influenciada no seu passado por diversas culturas. Não fiquei muito surpreso ao descobrir que a civilização egípcia fez-se presente por lá e no seio das grandes civilizações que se desenvolveram na Europa. Ao me aprofundar na mitologia do antigo Egito, em sua cultura religiosa, me deparei com evidencias que me convenceram que a Bernunça teria sua origem inspirada em um ser mitológico do antigo Egito. O que descobri era mais que uma coincidência.

Na mitologia egípcia, existiam inúmeros deuses e deusas. Mas os egípcios acreditavam em uma deusa que era muito temida, seu nome era Ammit, conhecida como “Devoradora de Almas”, ou “Devoradora de Mortos”. Só que essa deusa era um pouco diferente do arquétipo tradicional dos deuses do antigo Egito. Na mitologia egípcia, Ammit era uma espécie de demônio fêmea. Uma criatura híbrida cujo corpo era composto por partes de três animais (cabeça de crocodilo, parte dianteira do corpo de leão e parte traseira de hipopótamo). As ilustrações existentes de Ammit lembram exatamente a figura da Bernunça.

Na cultura religiosa do antigo Egito, acreditavam que quando a pessoa morria o morto era conduzido pelo deus Anúbis (o deus do submundo dos mortos) para ser julgado no Tribunal de Osíris. Lá, o coração do morto era pesado e comparado juntamente com a Pena da Verdade, na Balança do Julgamento. Se o morto, em vida, tivesse sido uma pessoa sem pecados, o coração seria mais leve do que a Pena da Verdade; nesse caso, o morto poderia ressuscitar ou ir para o Paraíso. Mas, se o morto tivesse cometido pecados durante a vida, seu coração seria mais pesado que a Pena da Verdade e assim, o morto seria condenado e Ammit devoraria seu coração e sua alma, extinguindo para sempre a sua existência.

A “deusa demônio” Ammit, devorava aqueles que eram condenados como pecadores. Ela era uma das divindades mais temidas do antigo Egito. Se fizermos uma busca na internet de imagens da Ammit, poderemos visualizar com facilidade inúmeras fotos de ilustrações egípcias desenhadas com hieróglifos em diversos lugares do Egito. Ao observar uma ilustração de Ammit, imediatamente se notará uma grande semelhança com a figura da Bernunça. Isso, por si só, já seria um forte argumento de que a Bernunça foi inspirada pela figura de Ammit.

Além da aparência extremamente similar entre Ammit e a Bernunça, tem a questão de que no folclore do Boi de Mamão, a Bernunça come pessoas que não se comportam bem; exatamente como a mitologia egípcia acreditava que fazia a “deusa demônio” Ammit. A própria encenação do Folguedo do Boi de Mamão, faz referência ao dilema religioso da morte e ressurreição, onde o boi morre e depois é ressuscitado. Ao mesmo tempo, a Bernunça se faz presente na dramatização teatral, lembrando em parte a crença egípcia, onde o morto esperava ser condenado ou ressuscitar, enquanto Ammit esperava para se alimentar dos pecadores.

Foi na mitologia egípcia que encontrei essa interessante evidência que parece explicar de maneira plausível, onde teria surgido a inspiração para a criação da personagem Bernunça. Não se sabe quem foi o autor deste “plágio folclórico”, mas com certeza, foi alguém que conhecia a cultura egípcia ou teve acesso ao conteúdo fantástico da rica mitologia egípcia. A Bernunça foi apresentada por aqui como sendo uma criatura exclusiva do folclore catarinense. De qualquer forma, a criatividade desse misterioso autor é louvável.



Comente






Conteúdo relacionado



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade


Inicial  |  Parceiros  |  Notícias  |  Colunistas  |  Sobre nós  |  Contato  | 

Contato
Fone: (47) 3059-1228
Celular / Whatsapp: (47) 99660-9995
E-mail: contatojornalevolucao.com.br



© Copyright 2020 - Jornal Evolução Notícias de Santa Catarina
by SAMUCA