Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo

Antiga ERM Ilona Tschoecke transforma-se em uma nova chance para muitos com a ACEPRED

Alguns ditos populares por vezes nos fazem refletir. A frase

Terça, 13 de agosto de 2019 15:29

 

 

Uma destas situações pode-se dizer que ocorreu com  aprovação do Projeto de Lei que o Município encaminhou para a Câmara e foi aprovado recentemente, projeto este que cede através de cessão de uso o imóvel da Escola Reunida Municipal Ilona Tschoeke, localizada na rua Conrado Liebl, no bairro Serra Alta, no trecho conhecido como Vila Pilz.

 

O fato de realizar um chamamento público para proporcionar uma cessão de uso não é nada extraordinário, trata-se de uma ação comum na Administração Municipal, mas este caso da ERM Ilona Tschoeke realmente nos leva a pensar.

 

Inicialmente nos faz pensar porque a instituição habilitada para a cessão do uso foi a ACEPRED - Associação Centro Especializado em Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos, coordenada por Mario Pereira, uma pessoa com vocação para contribuir com o próximo, pois Mario já enfrentou e venceu muitos percalços que surgiram ao longo de sua vida.

 

A ACEPRED acolhe pessoas dependentes químicas para tratamento. São pessoas que sofrem pelas consequências do vício com as drogas, com o álcool, com medicamentos, e também aquelas pessoas que são moradoras das ruas.

 

O trabalho da ACEPRED merece elogios, e quando dizemos que o mundo dá voltas é porque foi exatamente na escola Ilona Tschoeke que a mãe de Mario lecionou por 23 anos, e foi exatamente ali, ao lado da escola, onde havia uma casa, que Mario nasceu há 51 anos. "Foi ali que a parteira ajudou minha mãe quando nasci, ali do lado”, disse com um tom de emoção.

 

Agora, passados 51 anos, Mario está coordenando a ACEPRED e está realizando  um trabalho que investirá aproximadamente R$ 300 mil na estrutura da antiga escola, que passará a contar com área de cozinha, lavatório para a cozinha, banheiro para equipe da cozinha, sala de material de limpeza, lavanderia, demais banheiros, refeitório para 40 pessoas, sala de convivência, sala de informática, área de lazer, quiosque, sala de atendimento médico, enfermaria, além de dois contêineres que serão instalados em frente ao espaço, onde haverá consultórios para psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional e terapeuta pastoral.

 

Além de toda a reforma, o espaço ainda contará com ampliação, pois será construído o alojamento que acolherá 40 pessoas em uma área total de 300 metros quadrados, com previsão de 9 meses para conclusão.

 

Toda esta estrutura foi apresentada por Mario na tarde de segunda-feira para o prefeito Magno Bollmann e para a chefe de gabinete Nilva Larsen Holz durante visita realizada ao espaço.

 

Na ocasião, o prefeito disse estar impressionado com as modificações realizadas, com a estrutura que será erguida no local, e principalmente com o trabalho realizado em prol das pessoas acolhidas na instituição.

 

A ACEPRED mantém convênios com Governo Federal, Governo Estadual e com os Municípios de São Bento do Sul e Rio Negrinho, onde mantém uma estrutura de acolhimento.

 

A mão de obra para esta obra na ERM Ilona Tschoeke é totalmente realizada por profissionais que passaram pela reabilitação e acolhimento na casa ou que ainda estão acolhidos em tratamento. "Nós acompanhamos o pós-acolhimento por um período de seis meses, e aqui temos ex-acolhidos trabalhando, iniciando uma nova vida", disse Mario.

 

Dentre os trabalhadores estão Fernando José Silveira e Edivaldo Bess, que comentaram sobre a nova chance que a vida está lhes proporcionando. "O acolhimento foi ótimo e mudou minha vida, e aqui tem toda estrutura que precisamos com atendimento para nos ajudar", disse Fernando. "Eu já estou namorando e comprei geladeira e fogão já”, disse Edivaldo, muito feliz com sua nova vida.

 

Nilva parabenizou-os pelo esforço, pela aceitação e pela vitória conquistada por ambos em sua recuperação. "O esforço de vocês é uma lição de vida", disse.

 

Sem moradores de rua

Mario destacou que assim que a reforma for concluída, em aproximadamente 30 dias, a estrutura comportará 20 acolhidos. Após a construção do alojamento então serão 40 acolhidos no local, e a meta para 2020 é intensificar o Projeto São Bento Cidadão de Rua, com o objetivo de zerar o número de moradores de rua no município.

"Tudo que fazemos é com muito trabalho e dedicação. Todos participam, faz parte do tratamento. Aqui todos tem contato direto com seus familiares e todos trabalham em diversas atividades até mesmo para contribuir com seu retorno à sociedade após o tratamento que pode durar de 4 meses até um ano, e se tudo der certo nós concretizaremos mais esse projeto no próximo ano, de retirar os moradores das ruas de nossa cidade", disse Mario com muito entusiasmo e alegria.

"Tudo o que vimos naquele prédio de uma escola desativada que está se transformando para ajudar tantas pessoas nos enche de alegria. É o tipo de ação que nos motiva, que nos faz refletir e parabenizar estas pessoas por sua força de vontade em ajudar ao próximo e a mudar de vida", concluiu o prefeito.

 


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:










AS MAIS LIDAS

  Justiça confirma resultado de licitação que gerou economia de R$ 12 milhões na compra de oxigênio
 
  Cervejarias Artesanais crescem em Santa Catarina
 
  Queremos ir para o Céu
 
  SANTO DO DIA:Santa Helena
 
  Busquemos a vida eterna todos os dias
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
47969042 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2019 Jornal Evolução
by SAMUCA