Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo

Evento internacional em Florianópolis debate ensino e acessibilidade de pessoas cegas



Quinta, 06 de dezembro de 2018 00:00

Encontro ocorre, entre os dias 10 e 14 de dezembro, no Campus da Univali

Florianópolis - Entre os dias 10 e 14 de dezembro, 38 pesquisadores, do Reino Unido e do Brasil, participam do workshop internacional para a criação de infraestruturas acessíveis para mobilidade e educação de pessoas cegas, que ocorre em Florianópolis.

Serão 19 pesquisadores brasileiros e outros 19 britânicos. Eles reúnem experiências voltadas para as áreas de biomedicina, elétrica, mecânica, reabilitação, engenharia civil, ciência da computação, tecnologia da informação, tecnologia assistiva, automação, design e terapia ocupacional ou fonoaudiológica.



Entre os pesquisadores internacionais que comandarão o evento estão Marion Ann Hersh, professora e pesquisadora do Departamento de Engenharia Biomédica da Universidade de Glasgow, da Escócia; Helen Petrie, professora de Interação Humano-Computador do departamento de Ciência da Computação da Universidade de York, na Inglaterra; e Stephen Brewster, professor do departamento de Ciência da Computação da Universidade de Glasgow, da Escócia.

Alejandro Rafael Garcia Ramirez, professor e pesquisador do Mestrado em Computação Aplicada da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), de Santa Catarina; Marcelo Gitirana Gomes Ferreira, professor do departamento de Design da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc); e Robert Christian Mortimer, coordenador técnico do Centro de Tecnologia Assistiva de São Paulo e do Instituto de Assistência a Pessoas com Deficiência Visual, são os pesquisadores sêniores que respondem pela equipe brasileira do evento.

O foco do encontro será melhorar a capacidade dos investigadores em início de carreira para a realização de pesquisas sobre infraestruturas acessíveis para educação e mobilidade para pessoas cegas, assim como projetar infraestruturas acessíveis para contextos locais, particularmente no Brasil, além de organizar redes e outros links que levem as propostas a alcançarem oportunidades de financiamento. Para isso serão realizadas palestras, painéis de discussão, trabalhos de design de equipe, seções de colaboração, brainstorms e discussões em grupo.

"A educação e a mobilidade são muito importantes para o acesso ao emprego de pessoas cegas. Além disso, pessoas cegas experimentam barreiras significativas para a participação igualitária na educação e para a mobilidade segura. O crescente reconhecimento da relevância da inclusão social de cegos e outras pessoas com deficiência torna o workshop particularmente oportuno", aponta Alejandro Rafael Garcia Ramirez.


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:








Anuncie Aqui
AS MAIS LIDAS

   IOLANDA HRUSCHKA
 
  GILBERTO LUIZ VASELIK
 
  Interdição de ponte no Rio Molha
 
   JOANIR NOGUEIRA
 
  Curso do MPSC sobre Infrequência Escolar tem mais de 770 inscritos em um mês
O curso a distância "Infrequência escolar e o Programa APOIA do MPSC" é gratuito e está disponível para qualquer pessoa que se interesse sobre o tema.
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
42575334 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2019 Jornal Evolução
by SAMUCA