Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo

Evento internacional em Florianópolis debate ensino e acessibilidade de pessoas cegas



Quinta, 06 de dezembro de 2018 00:00

Encontro ocorre, entre os dias 10 e 14 de dezembro, no Campus da Univali

Florianópolis - Entre os dias 10 e 14 de dezembro, 38 pesquisadores, do Reino Unido e do Brasil, participam do workshop internacional para a criação de infraestruturas acessíveis para mobilidade e educação de pessoas cegas, que ocorre em Florianópolis.

Serão 19 pesquisadores brasileiros e outros 19 britânicos. Eles reúnem experiências voltadas para as áreas de biomedicina, elétrica, mecânica, reabilitação, engenharia civil, ciência da computação, tecnologia da informação, tecnologia assistiva, automação, design e terapia ocupacional ou fonoaudiológica.



Entre os pesquisadores internacionais que comandarão o evento estão Marion Ann Hersh, professora e pesquisadora do Departamento de Engenharia Biomédica da Universidade de Glasgow, da Escócia; Helen Petrie, professora de Interação Humano-Computador do departamento de Ciência da Computação da Universidade de York, na Inglaterra; e Stephen Brewster, professor do departamento de Ciência da Computação da Universidade de Glasgow, da Escócia.

Alejandro Rafael Garcia Ramirez, professor e pesquisador do Mestrado em Computação Aplicada da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), de Santa Catarina; Marcelo Gitirana Gomes Ferreira, professor do departamento de Design da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc); e Robert Christian Mortimer, coordenador técnico do Centro de Tecnologia Assistiva de São Paulo e do Instituto de Assistência a Pessoas com Deficiência Visual, são os pesquisadores sêniores que respondem pela equipe brasileira do evento.

O foco do encontro será melhorar a capacidade dos investigadores em início de carreira para a realização de pesquisas sobre infraestruturas acessíveis para educação e mobilidade para pessoas cegas, assim como projetar infraestruturas acessíveis para contextos locais, particularmente no Brasil, além de organizar redes e outros links que levem as propostas a alcançarem oportunidades de financiamento. Para isso serão realizadas palestras, painéis de discussão, trabalhos de design de equipe, seções de colaboração, brainstorms e discussões em grupo.

"A educação e a mobilidade são muito importantes para o acesso ao emprego de pessoas cegas. Além disso, pessoas cegas experimentam barreiras significativas para a participação igualitária na educação e para a mobilidade segura. O crescente reconhecimento da relevância da inclusão social de cegos e outras pessoas com deficiência torna o workshop particularmente oportuno", aponta Alejandro Rafael Garcia Ramirez.


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:










AS MAIS LIDAS

  OLIVAR SIQUEIRA,
 
  GERVÁSIO DOS SANTOS
 
  . EDMUNDO RANDIG
 
  Ofertas Germânia Supermercados para este final de semana do
 
  Construtora faz estrada de má qualidade em Porto União e tem R$ 1 milhão bloqueado
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
40169348 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2018 Jornal Evolução
by SAMUCA