Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo

AMOR DE MÃE - JÚLIO CHEGOU PARA UNIR A FAMÍLIA



Sexta, 11 de maio de 2018 00:00

 Clique para ampliar
                                                                                   

Além de nascer com malformação do crânio, o menino perdeu a função renal e agora precisa de transplante.

 

          O amor de mãe é o sentimento que mais se aproxima do conceito de divindade. Ele é abrangente, incondicional e propulsor. Sua essência está interligada a outros sentimentos nobres, entre eles, perdão, altruísmo, dedicação, renúncia, saudade, coragem, fé, solidariedade, amizade, felicidade e doação. É simbolizado na forma de um coração e se manifesta a partir de sementes germinadas pelo próprio coração. Nenhuma escala do universo é capaz de medir essa força infinita. 

           Na Fundação Pró-Rim, vimos com freqüência histórias de mães e filhos que produzem capítulos molhados por lágrimas de apreensão e sorrisos iluminados de felicidade. Não importa a idade dos filhos. Para elas, serão sempre crias indefesas e dependentes da proteção materna. Por isso, no Dia das Mães, é preciso entender que elas gostam, mas não ligam tanto para presentes e nem homenagens. Na verdade, o que elas mais querem é tê-los por perto, o tempo todo, envoltos nos seus braços.

          As mães são a memória dos filhos. “Não se esqueça do agasalho, do guarda-chuva, da comida na hora certa, de dormir cedo e, principalmente, de ligar para a sua mãe nem que seja apenas para dar boa noite ou pedir a benção”. Afinal, os filhos são pedaços delas, as partes mais importantes que elas geraram. Para cada um, em cada pedacinho dos filhos, é direcionado o amor mais puro e incondicional.

SEM CHÃO

          O que era para ser um exame pré-natal esperado com alegria e emoção acabou se transformando em momento de profunda tristeza para Fabiane Stal, que mora em São Bento do Sul (SC). O feto foi diagnosticado com encefalocele occipital, o que significa na linguagem médica uma falha óssea associada.

          A mãe só avaliou a gravidade do que estava acontecendo ao ouvir a recomendação médica que o melhor a fazer seria interromper a gravidez. Tudo isso aconteceu em 2004, mas ela recorda como se fosse hoje: “O mundo desabou sobre mim. Foi assustador. Fiquei sem chão e não conseguia aceitar este acontecimento comigo e com o meu bebê”, lembra Fabiane. 

    

 

 

SOFRIMENTO E FÉ

          Depois de buscar mais informações sobre o diagnóstico, ela decidiu enfrentar todos os riscos e levar adiante a gravidez. “Tomei a decisão mais importante da minha vida. Como mãe, a minha missão sagrada era proteger o meu filho em todas as circunstâncias e enfrentando todas as consequências. E este era o momento em que ele estava fragilizado e precisando muito de mim. Nunca pensei em abandoná-lo. Para isso, a minha fé inabalável se encarregou de me fortalecer, embora todo o sofrimento” descreve a mãe.

          Júlio nasceu em 14 de junho de 2005. “É um menino valente que luta para viver. Começou a falar e andar com 10 anos. Tem a idade mental de uma criança de cinco anos, mas ensinou a todos da família como se ama incondicionalmente”, atesta Fabiane.

          Além de tudo, em 2015, os rins de Júlio pararam de funcionar e ele se submeteu ao tratamento de diálise peritoneal. A doença renal não teve nada a ver com a malformação do crânio e do cérebro, explica a mãe. O menino entrou na lista de espera para fazer um transplante de rim.

          A família ficou eufórica quando no fim do ano passado ele foi chamado às pressas ao hospital, pois havia um rim à sua disposição. “No entanto, o último teste de compatibilidade deu negativo e o transplante não pode acontecer. Chorei muito, mas continuo otimista e sei que logo vai aparecer outro rim para ele”, acredita a mãe.

          Quando fala do filho, Fabiane se emociona: “É a criatura mais doce que conheço. Apesar de toda a limitação, ele demonstra que é muito feliz quando brinca com os seus carrinhos, ao usar o celular e o computador, ou quando ouve as músicas gauchescas que tanto gosta e assiste ao Flamengo jogar na TV. Não reclama de nada, está sempre sorrindo e é muito carinhoso com todos.

          Ela conta que Júlio fica alegre e sorri muito quando revê a equipe da Fundação Pró-Rim nas consultas. Emociona-se quando fala da sua dedicação ao filho. “A minha filha mais nova tinha muito ciúme do irmãozinho. Então expliquei que ele precisa muito da gente. Ela entendeu e hoje é uma espécie de segunda mãe do menino. Vivo 24 horas por dia para atendê-lo e fico realizada como mãe em poder lhe dar essa proteção. Além de me transformar em uma pessoa melhor, o Júlio veio com a missão de unir a família”, conclui Fabiane. 

          No Dia das Mães deste ano ela pretende comemorar mais uma vez a data com muita alegria, ao lado do Júlio e de toda a família. “Tudo o que acontece na vida da gente tem sempre um propósito. O Júlio chegou para testar a minha capacidade de amar. Descobri então que ela é ilimitada”, diz a mãe emocionada.   


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:








Anuncie Aqui
AS MAIS LIDAS

  Bolshoi de Joinville divulga lista de aprovados na seleção nacional
 
  Aplicação de provas terá quatro fusos horários diferentes
 
  Precisamos cuidar do outro que está ao nosso lado
 
  Mesários já podem obter Declaração de Participação
 
  SANTO DO DIA:São João Paulo II
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
38101404 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2018 Jornal Evolução
by SAMUCA