Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


Acidente     Avisos Paroquiais Igreja Matriz     Charge     Comunicados     Economia     Editais     Educação     Eleições 2016     Emprego     Entrevista     Especial     Esporte     Eventos     Fraude     Games e Tecnologia HVG     Geral     Inicial     Investimentos     Justiça     Legislação     LUTO     Negócios     Obituário     Obras     Olimpíada Rio 2016     Opinião     Polícia     Política     Recursos     Reflexões     Registro Civil     Religião     Saúde     Segurança     Social     Solidariedade     Tragédias     Turismo     Últimas notícias
 
 
Indique para um amigo

Tentar reeleição, ser candidato a vice ou até prefeito



Quarta, 10 de fevereiro de 2016 10:50

César Augusto Acorsi de Godoy, vereador que pode ser candidato a vice até do Tureck, fala de seu futuro político

 

Clique para ampliar
“Partido nenhum fora, PP e PMDB, faz 5.000 votos sozinho. Em hipótese alguma” (Foto Divulgação)
  

Evolução – Primeira legislatura, estreia na política, qual sua avaliação pessoal?

Godoy – Eu faço uma leitura extremamente positiva do mandato. Digo isso pelo seguinte: Consegui protagonizar alguns momentos nestes três anos que me orgulho demais. Vou citar um dos principais exemplos. Com toda a pressão e força externa e política contrária a vinda da Unidade Prisional para São Bento do Sul, que já estava definida que seria em Rio Negrinho, o prefeito de lá já tinha achado o terreno. O nosso já tinha dito que não queria, mesmo sendo um projeto com alta rejeição até pela comunidade, eu consegui fazer com que fosse revertido e seja construída em São Bento do Sul. Claro que a passos em níveis estaduais. Você sabe que é lento, mas já está terraplenado e isso eu me orgulho muito porque é uma política pública antipática, mas necessária. Trabalhei pela vinda da unidade avançada da Justiça Federal e que ainda está em trâmite. Consegui alguns projetos como o do ônibus universitário. A transformação que não só eu considero, mas as pessoas que acompanham os trabalhos legislativos sentiam que eu como presidente da Câmara consegui fazer, gostem ou não, foi transformador. Qualquer pessoa em casa pode assistir as sessões da Câmara via on-line, isso é transformador. Consegui fazer com que você acesse o saite, pesquise e saiba a  pergunta e a resposta dos requerimentos de informação é transparência. Três anos atrás para você saber o que estava acontecendo na Câmara, tinha que fazer um requerimento por escrito, aguardar o prazo de 30 dias para depois obter a resposta. Hoje se você quer saber o que está acontecendo basta acessar o saite e terá tudo com transparência. É a única Câmara  na  região inteira, inclusive Joinville, que disponibiliza a pergunta e a resposta. Isto é transparência. Consegui instalar a tradução por libras. São fatos que eu acho que a gente consegue fazer uma transformação aos poucos, mas que dão bom resultado. Então  vejo como forma positiva, alguns aspectos que até então estavam muito parados na cidade, de transparência, de movimentação, de agitação no meio político com uma política um pouco diferente. Acho que o saldo foi positivo. Final do ano passado criamos eu e minha equipe, o Programa Vigilância Comunitária em que os moradores se reúnem, coordenados por mim, depois me afasto, para comunicar toda atividade suspeita e avisar a polícia quando achar que a situação está ficando ruim. São 60 ruas com este programa hoje. O Conselho de Segurança já copiou este programa, o que eu acho saudável. Isto é a nossa função e vejo que está dando bons frutos.

 

Evolução – E, o teu futuro na política em função de ano eleitoral? Teu nome está em evidência. O teu partido não tem grande estrutura. Como fica o Godoy neste processo?

Godoy – Esta pergunta é importante e bastante pertinente pela seguinte razão. Hoje em São Bento do Sul, vejo que os únicos dois partidos que tem condições de lançarem chapa pura e se eleger sozinhos, são o PMDB e o PP. São historicamente os dos maiores partidos e melhor estruturados. O que isso quer dizer na prática? Que partidos menores e aí eu considero estes partidos que vou falar agora, como do mesmo nível  e força que são: Democratas, PSDB, PSD e PT. Estes quatro partidos considero com o mesmo nível de força. Um pouquinho abaixo, não em nível de importância, mas digo de força eu vejo PSB, PPS e PV. Estes que falei por último, são necessariamente obrigados a se coligarem  para fazer pelo menos um vereador. Para eleger um vereador será necessário uma legenda de 5.500 a 6.000 votos. Partido nenhum fora, PP e PMDB, faz 5.000 votos sozinho. Em hipótese alguma. Nem PSDB, nem Democratas, PSD,  nenhum. Então estes partidos tem que fazer? Se unir para somar e tentar fazer 5 a 6 mil votos e eleger um vereador. Então é natural que PSDB. Democratas e PSD e estes outros partidos se unam para tentar eleger vereador. Aí começa a se desenhar o panorama das próximas eleições. Veja que o PSDB diz que vai ter candidato próprio para prefeito, muito que bem. Mas se não coligar não elege sequer um vereador e evidentemente não ganha a eleição. O Democratas não consegue eleger um vereador, muito menos o prefeito. Se coligados e bem, é possível que elejam um vereador e comecem a subir nos números para prefeito. Assim é o caso do PSD. E é por isso que vem se cogitando muito, e eu fui convidado, não me convidei a integrar o PSD, partido do governador. O Flávio Schuhmacher que é o presidente temos conversado semanalmente, mas uma eventual ida minha para o PSD, só se dará se o projeto for firme, sem demagogia e agora vou usar um termo  muito forte, sem prostituição. Sem dizer eu vou para um partido que é mais bonitinho e que me dá mais. Quero um partido que tenha condição de fazer uma coligação para eleger um número de vereadores e conseguir impor um  programa e também que a gente consiga fazer alguma coisa com início, meio e fim. O Que eu estou propondo é isso. Existe um convite do PSD? Existe. Até o PT já me fez convite. Gosto muito dos amigos do PT, mas não consigo concordar com a política nacional do partido. Então respondendo de forma objetiva. Existe um convite do PSD? Existe. Mas nós estamos na fase de estudos para ver o quão válido, ou como interessante é com a troca de partido para poder viabilizar uma candidatura. Seja ela na majoritária, prefeito ou vice ou na proporcional para vereador novamente.

 

Evolução – No finmal do ano com a cúpula do PMDB, inclusive o prefeito e vice e outras lideranças, joguei uma gasolina no fogo e perguntei: Que tal Tureck e Godoy em uma dobradinha? Quase viraram a mesa e eu fiquei próximo de ser o incendiado. Você no PSD para onde dever migrar o vice do PMDB, partido que está alinhado com o Tureck, como fica o Godoy? Sai no santinho junto com Fernando.

Godoy – Mas aí fica muito fácil de responder. Não estou dizendo que é fácil de fazer. Existe a perspectiva do vice prefeito ir para o PSD, que tem afinidade com  o governo municipal. Existe a possibilidade de eu como um dos maiores opositores do atual governo, também ir para o PSD. Então você teria alguém que é contra o governo e o outro que é favor do governo. Porque a vontade de um deve prevalecer sobre a do outro. Aí existem as pesquisas internas para ver quem tem mais condições, quem tem mais força política, para que aquele posicionamento político seja cumprido. Você terá o Arildo Gesser e o César Godoy. Qual, o caminho a seguir. Primeiro, vamos ouvir o partido. Segundo vamos fazer uma pesquisa. Pesquise-se quem tem mais lastro político para disputar uma eleição, para ganhar uma eleição e aquele que tiver mais tem que ter a preferência.

 

Clique para ampliar
“Agora sou muito franco no seguinte também. Se eu percebo que o projeto do PMDB é o mesmo que está aí hoje, que o do PP também não venha com novidades, eu me lanço candidato a prefeito para apresentar um projeto novo” (Foto Divulgação)
  

Evolução – Então está ficando mais claro que você poderá ser o vice do Tureck?

Godoy – Você sabe que eu realmente acredito na mudança das pessoas. Eu mesmo já mudei muito. Só não muda quem não tem perspectiva, boa vontade e capacidade. Eu jamais fui contra  o Fernando Tureck. Sou contra a administração do governo Tureck. Aí tem uma diferença muito grande. Quem não sabe fica sabendo neste momento, somos amigos de infância. Estudamos juntos, jogamos bola, frequentávamos curso juntos. Isso não muda de um dia para o outro. O que eu não concordo é com a forma que vem administrando o município. Nada, absolutamente nada impede de ele propor uma mudança na forma de gerir, mandar algumas pessoas que não gostam de trabalhar embora da prefeitura e eu sentar com ele e conversar. Absolutamente nada impde. A prova que o prefeito Tureck sabe administrar quando quer e quando está bem assessorado é o projeto do Ônibus Universitário. Ele sabia que tinha que honrar o compromisso dele, ele sabia que iria beneficiar  várias pessoas e que isto não era uma briga política. O resultado disso foi no último dia do ano legislativo, ele mandou o projeto, foi aprovado e vamos beneficiar inúmeros estudantes. Isso é prova que ele sabe mudar e que fez o bem para muita gente. Essa postura, ele sabe mudar, eu também sei mudar, não impede que sentemos juntos e ninguém vai impedir. A população tenho certeza, madura que é em São Bento do Sul, vai saber entender o momento porque o Godoy e Tureck sentam juntos. Porque ouve uma mudança de pensamento, de atitudes e de comportamento. Em havendo isto eu não vejo problema algum.

 

Evolução – Gostaríamos de ver esta dupla em ação?

Godoy – Quem sabe? A única coisa que você não pode mudar, é irreversível, é a morte. Se for para mudarmos para São Bento do Sul crescer, porque não mudar.

 

Evolução – E se não houver mudanças? O PSDB, PP e PMDB lançando candidatos próprios  o  Tureck está reeleito.

Godoy – Concordo com você. Quem pode definir as próximas eleições serão os vices. Já sabemos que os três partidos citados terão candidatos próprios. Quem escolher o vice melhor já sai na frente e tem uma vantagem a mais. Já temos um histórico de bons e maus vices, cada um que faça a sua leitura.

 

Evolução – Você está de franco atirador e basta saber quem vai querer aproveitá-lo?

Godoy – Dependendo de quem é o candidato a prefeito do PP e o projeto que eles tiverem para São Bento do Sul, eu abraço uma vice candidatura.  Agora sou muito franco no seguinte também. Se eu percebo que o projeto do PMDB é o mesmo que está aí hoje, que o do PP também não venha com novidades, eu me lanço candidato a prefeito para apresentar um projeto novo. Não tenho problema algum em me lançar candidato a prefeito. Com um bom vice que já disse será o diferencial desta campanha e para apresentar um projeto de mudanças.

 

Evolução – Então não está descartada a candidatura de Godoy para prefeito?

Godoy – De forma alguma. Eu não digo nunca e sempre. Não está descartada. Serei candidato dependendo do que apresentarem de modelo. Se for um projeto que eu veja que São Bento do Sul pode prosperar com ele estou junto, ou vou propor o meu.


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:













Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
25788295 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Últimas notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2017 Jornal Evolução
by SAMUCA