Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo
No Mundo da Lua - Sônia Pillon

Sônia Pillon nasceu em Porto Alegre e há duas décadas reside em Jaraguá do Sul. 

Formada em Jornalismo pela PUC-RS e pós-graduação em Produção de Texto pela Univille.

Atuou como repórter, editora, redatora e assessora de imprensa  no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Por mais de 10 anos atuou no jornal A Notícia.  

Sempre se dedicou à literatura e às ações culturais. É autora de “Crônicas de Maria e outras tantas – Um olhar sobre Jaraguá do Sul” e “Encontro com a paz e outros contos budistas”, com participação em antologias de contos, crônicas e poesias.

Publica no Jornal Evolução, no blog soniapillon.blogspot.com e na fanpage "Sônia Pillon Escritora". 

É Presidente de Honra da Seccional Jaraguá do Sul da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina (ALBSC). Integra o Grupo Gestor do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) Mestre Manequinha e o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de Jaraguá do Sul.


A vendedora de panos de prato



Sexta, 07 de setembro de 2018 13:04

 

Sônia Pillon

 

Era final de tarde de uma quarta-feira de agosto. O sol ia se pondo e não tardava o anoitecer. Eu estava caminhando apressadamente em direção à esquina da rua Barão do Rio Branco, em pleno Centro de Jaraguá do Sul. Queria chegar o mais rápido possível em casa e ainda faltavam algumas quadras até alcançar a ponte que liga ao bairro Vila Nova. Sempre evito andar pelas ruas à noite.

 

Porém, de repente, o inusitado. Uma mulher com uma criança pequena no colo se aproxima e interrompe meus passos. Com um fio de voz, ela me chama.

- Senhora! Quer me ajudar comprando panos de prato?

Fiquei inicialmente assustada. Afinal, estávamos somente nós duas naquela esquina. Mas a imagem que presenciei em seguida me deixou profundamente chocada, estarrecida até. A fome e o sofrimento estavam estampados na face daquela mulher.

 

À medida em que se aproximava de mim, constatei que ela não oferecia perigo. Ao contrário, transmitia extrema fragilidade. Pelo tom de pele, cor de jambo, e pela expressão de profundo desalento, linkei com as imagens de mulheres que vivem em aldeias isoladas da Índia, ou de Bangladesh, castigadas pela miséria e precocemente envelhecidas.

 

De alta estatura, magérrima, a vendedora tinha os cabelos castanhos, lisos e longos, despenteados e opacos, presos em um improvisado rabo-de-cavalo. Segurava uma menina com o braço esquerdo que, mesmo dormindo, ainda mantinha a boca semi presa ao seio caído da mãe, totalmente à mostra. No outro braço, tinha uma sacola recheada com panos de prato pintados a mão.

 

Perguntei de onde ela era. Me disse que veio de São Bento do Sul, mas que hoje mora no bairro Ilha da Figueira.

 

- O aluguel é dia 10 e estou vendendo os panos para ajudar a pagar, porque não está fácil, falou ela, em tom de confidência. Estava vendendo a R$ 5 cada peça. Fiquei escolhendo quatro, com estampas diferentes.

 

Enquanto acontece a negociação, a menina permanece de olhos fechados e sem se mover no colo da mãe, que mal a consegue segurar.

 

Inevitavelmente, a dúvida se instalou em mim. Seria uma encenação? Uma combinação com a menina para comover as pessoas e vender as peças mais rapidamente?

 

Contudo, o olhar de profunda tristeza, a aparência abatida e a magreza excessiva da mulher eram reais. A criança não tinha mais do que três anos, e a vendedora em questão não estava roubando, apenas comercializando por um valor um pouco mais alto do que as lojas de preço único...

 

Concluída a negociação, a “empreendedora informal”,agradece e se afasta. Nesse momento, dirijo as últimas palavras: “Cuide dessa menina com muito carinho e amor”. Ela concordou com a cabeça e se foi. Eu segui caminhando. De tudo o que vi e ouvi, uma constatação: a vida pode nos surpreender a cada esquina.

 

Fico me perguntando o que aconteceu com as duas. Será que a mulher realmente pagou o aluguel, ou utilizou o dinheiro para um outro fim, menos nobre?  E você, leitor, encontrou essa vendedora de panos de prato por aí?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:










AS MAIS LIDAS

  Seguir Jesus exige renúncia
 
  Comunicado transito de São Bento do Sul
 
  Dia do imigrante: trabalho e inclusão financeira
 
  SANTO DO DIA:Solenidade do Nascimento de João Batista
 
  Quartas de final do Campeonato Municipal de Futebol Society
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
46139445 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2019 Jornal Evolução
by SAMUCA