Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo
No Mundo da Lua - Sônia Pillon

Sônia Pillon nasceu em Porto Alegre e há duas décadas reside em Jaraguá do Sul. 

Formada em Jornalismo pela PUC-RS e pós-graduação em Produção de Texto pela Univille.

Atuou como repórter, editora, redatora e assessora de imprensa  no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Por mais de 10 anos atuou no jornal A Notícia.  

Sempre se dedicou à literatura e às ações culturais. É autora de “Crônicas de Maria e outras tantas – Um olhar sobre Jaraguá do Sul” e “Encontro com a paz e outros contos budistas”, com participação em antologias de contos, crônicas e poesias.

Publica no Jornal Evolução, no blog soniapillon.blogspot.com e na fanpage "Sônia Pillon Escritora". 

É Presidente de Honra da Seccional Jaraguá do Sul da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina (ALBSC). Integra o Grupo Gestor do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) Mestre Manequinha e o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de Jaraguá do Sul.


O dia em que Peter Pan deixou a Terra do Nunca



Sexta, 24 de agosto de 2018 00:00

Conto

 

O mar estava agitado, e o navio-pirata do capitão Gancho parecia uma casca de noz, de tanto que era sacudido pelas ondas bravias. O comandante da embarcação, que causava pavor até entre a marujada, não somente pelo seu temperamento colérico, mas também pelo enorme gancho de ferro que substituía um dos braços, praguejava sem parar. Seus olhos disparavam chispas de ódio. A tripulação estava assustada. Impossível prever o que o capitão iria fazer, e isso era o que mais preocupava.

- Assim não vou conseguir capturar o Peter Pan, aquele menino insolente! – gritava o capitão, trincando os dentes.
Mas Peter Pan nem ligava. Definitivamente, “o menino que não queria crescer”, líder dos Meninos Perdidos, tinha as suas ordens para ordenar e suas brincadeiras para brincar... Na Terra do Nunca, onde ele e os amigos se refugiaram das responsabilidades e compromissos do mundo real, Peter Pan reinava absoluto!

Na Terra do Nunca, que era o sonho de muitas crianças, não haviam as obrigações da escola, os deveres de casa para fazer, muito menos as provas bimestrais. Apenas aventuras infantis e muita diversão. Por isso tinha fugido da casa dos pais, para fazer o que e bem entendesse...

Wendy era a única que o entendia, mas depois de algum tempo ela decidiu voltar para casa dos pais e seguir com sua vida. Queria virar mocinha, continuar os estudos... Sim, Peter Pan chorou e muito! Mas como abrir mão de sua liberdade? Deixar aquele lugar encantado, melhor que um parque de diversões? E o que era melhor: sem precisar pagar ingresso...

- Não nasci para seguir regras e ser escravo do relógio! Ah, não!
Mas um dia a nostalgia bateu forte e ele tomou a decisão de deixar a Terra do Nunca para procurar Wendy. O menino precisa crescer!, disse para si mesmo. Todos sabem que no dia em que Peter Pan deixou a Terra do Nunca e procurou os pais, não foi reconhecido por eles. Tinha passado muitos anos fora... E o mesmo aconteceu quando ele foi encontrar Wendy. Bateu na vidraça do quarto dela e uma mulher o atendeu. 

Para espanto de Peter Pan, era Wendy, só que muito diferente da menina que conheceu! Logo depois apareceu um homem de terno e gravata, que ela apresentou como marido... Wendy foi gentil e tratou Peter Pan como um velho amigo... Peter Pan mal conseguiu conter as lágrimas.

- Ela cresceu e eu continuei o mesmo, constatou. O dia em que Peter Pan deixou a Terra do Nunca tinha demorado demais para acontecer... Profundamente triste, “o menino que não queria crescer” disfarçou e se despediu de Wendy e do marido. Enxugando as lágrimas que insistiam em cair, ele respirou fundo e voou para a Terra do Nunca. Ele nunca mais voltou a ver Wendy... Mamãe, quer dizer que se um menino for para a Terra do Nunca, ele não vai crescer? – perguntou Pedrinho.

- Sim, Pedrinho, se isso acontecer, ele não vai amadurecer e será sempre um menino em um mundo cercado de adultos – respondeu a mãe, antes de puxar o cobertor e beijar o rosto do filho, que se preparava para dormir.


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:










AS MAIS LIDAS

  Seguir Jesus exige renúncia
 
  Comunicado transito de São Bento do Sul
 
  Dia do imigrante: trabalho e inclusão financeira
 
  SANTO DO DIA:Solenidade do Nascimento de João Batista
 
  Quartas de final do Campeonato Municipal de Futebol Society
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
46140064 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2019 Jornal Evolução
by SAMUCA