Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo
No Mundo da Lua - Sônia Pillon

Sônia Pillon nasceu em Porto Alegre e há duas décadas reside em Jaraguá do Sul. 

Formada em Jornalismo pela PUC-RS e pós-graduação em Produção de Texto pela Univille.

Atuou como repórter, editora, redatora e assessora de imprensa  no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Por mais de 10 anos atuou no jornal A Notícia.  

Sempre se dedicou à literatura e às ações culturais. É autora de “Crônicas de Maria e outras tantas – Um olhar sobre Jaraguá do Sul” e “Encontro com a paz e outros contos budistas”, com participação em antologias de contos, crônicas e poesias.

Publica no Jornal Evolução, no blog soniapillon.blogspot.com e na fanpage "Sônia Pillon Escritora". 

É Presidente de Honra da Seccional Jaraguá do Sul da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina (ALBSC). Integra o Grupo Gestor do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) Mestre Manequinha e o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de Jaraguá do Sul.


O bobo da corte



Sexta, 20 de julho de 2018 09:46

 

Vestindo roupagem multicolorida, o espalhafatoso chapéu de guizos e carregando um saco nas costas, o bobo da corte finalmente chegou ao castelo de Jaga, no distante reino do Brail. Chegou chegando, como sempre fez, sorrindo e saltitando, com  rápidos movimentos de cabeça, de um lado para o outro ao mesmo tempo. O som dos guizos balançando, aliado às caretas engraçadas e os pulos produziu o efeito esperado. Com suas habilidades e maneirismos de artista de rua, conseguiu com que o mais sisudo soldado da guarda real se rendesse e soltasse uma sonora gargalhada.

 

Satisfeito, o recém-chegado abriu um sorrisão e se anunciou. “Sou o bobo da corte Ibbarac, ou o bufão Ibbarac, como preferir... Nasci no feudo da Arga, depois comecei a percorrer os reinos próximos. Em cada um deles, sempre fui reconhecido pelas minhas criações, recebi muitas homenagens, e hoje chego aqui, nessa majestosa corte, para trazer alegria e entretenimento para todos!”. Imediatamente um emissário do rei apareceu, fez mais algumas perguntas e depois o conduziu à presença do rei.

 

Sempre foi assim. Desde muito jovem, essa foi a maneira que o bufão Ibbarac arranjou para ganhar a vida, abandonando a família e deixando tudo para trás quando se descobriu artista.  Além do talento para as artes, descobriu em si a habilidade da sedução, que utilizava em todos os momentos e que sempre abriu portas para ele.

 

Com olhar incisivo e hipnótico, era também hábil com as palavras. Procurava saber um pouco de tudo nos lugares onde visitava. Assim, costurava conversas com astúcia e dizia exatamente o que as pessoas queriam ouvir. Impressionava pela falsa erudição, pelo uso de palavras “difíceis”, quando a ocasião exigia.

 

A postura brincalhona e bem humorada, quase infantil, encantava as pessoas em suas apresentações, especialmente as crianças. Se portava igual a elas, como não iriam gostar? Causava simpatia, empatia, tinha carisma. Adorava uma pĺateia e os monarcas o adoravam.

 

Com as mulheres, era o mestre da sedução. Se transformava em um conquistador feroz quando se encantava com uma.  E nem precisava ser donzela… Bastava achá-la atraente, não importando a idade, ou estado civil da presa. Atacava com todas as armas disponíveis. O repertório de “xavecos” à moda medieval não tinha limites. O que importava para ele era a aventura, acima de tudo! Compromissos e regras? “Comigo, não!”, pensava. Definitivamente, não foi feito para levar a vida a sério.

 

 

Casou mais de uma vez. Sempre que as responsabilidades apareciam, esperneava. Mesmo apaixonado, nunca se entregava de verdade. O bobo, que de bobo não tinha nada, geralmente se aproximava das carentes. Recebia guarida até que a relação se desgastava. Aí ele pegava o saco, botava nas costas e partia novamente para o desconhecido.

 

E foi assim, de feudo em feudo, de castelo em castelo, com peripécias mil na bagagem, que o bufão Ibbarac aportou em Jaga, um pouco cansado de tantas aventuras e desventuras. Dizem que dessa vez foi para ficar. Será?

 


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:








Anuncie Aqui
AS MAIS LIDAS

  A civilidade e o respeito perdidos
 
  Fim de semana com atrações especiais na Osterpark em Jaraguá do Sul
 
  Sancionada Lei que transfere feriado de 25 de Julho de 2019
 
  Cuidemos da vinha do Senhor
 
  Carnês do IPTU podem ser retirados pela internet
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
43541665 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2019 Jornal Evolução
by SAMUCA