Fale conosco
            
Fale conosco
            
Edições do Jornal:
            


 
 
Indique para um amigo

Façamos a nossa obrigação sem buscar reconhecimento



Terça, 14 de novembro de 2017 08:04

 

Cumpriremos melhor, o que precisamos fazer, se deixarmos de viver em busca do reconhecimento

“Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer'”(Lucas 17,10).

 

 

 

Amados irmãos e irmãs, a nossa natureza humana tem uma necessidade de reconhecimento; necessitamos sermos reconhecidos, por aquilo que realizamos. Vejamos o exemplo dos governantes: fazem poucas coisas e, muitas vezes, fazem mal ou nem terminam de fazê-las, mas a necessidade de serem reconhecidos, os levam a desejarem “placas”. E lá estão elas: para mostrarem quem foi o “realizador daquilo”, para serem lembrados, reconhecidos, exaltados. Dessa forma, assim é também conosco.   

Temos a necessidade de sermos aplaudidos, curtidos; olhemos nas redes sociais quantas curtidas levamos, quanto reconhecimento temos, em contrapartida, com Deus não é assim. N’Ele não podemos buscar reconhecimento, valorização, aplausos naquilo que nós fazemos. Simplesmente, façamos a nossa obrigação e a nossa responsabilidade.

Converter-se não é mérito nenhum, é graça de Deus! Somos nós quem precisamos saber que temos que nos converter. Algumas pessoas acham que estão fazendo um favor para Deus indo para a igreja: “Eu fui lá para Deus ficar feliz comigo”. Não é Deus quem tem que ficar feliz conosco; somos nós quem temos que ficar felizes. Nós que precisamos fazer o que precisamos.

Deus já é Santo, não precisa se converter, mas nós precisamos. Deus não precisa de culto, mas nós precisamos cultuá-Lo; Ele não precisa do nosso amor, mas nós precisamos amá-Lo, porque Ele vai ser Deus, Ele é Senhor, nós O amando ou não.

É certo que, o pai quer ter o filho com ele. Esse pai espera que o filho dele volte, entretanto, somos nós que perderemos, que deixaremos de experimentar o que é nosso, pois não nos esforçamos ou empenhamos. Mas, se estamos nos esforçando, se nos empenhamos e damos o melhor de nós ao nosso trabalho; isso é maravilhoso, porque estamos fazendo o que deveríamos fazer.

Quantas vezes ouvimos as pessoas dizerem: “Eu deixei de trabalhar para a igreja, porque são ingratos, não reconhecem o que nós fazemos, ninguém dá valor ao que nós fazemos”. Ora, só fazemos as coisas para sermos reconhecidos e valorizados pelos outros?

Eu não sou padre, um servo de Deus, para que as pessoas me reconheçam, me aplaudam ou deem valor ao que eu faço. Faço porque é a minha obrigação! Faço para dizer com as palavras de São Paulo: “Ai de mim se não evangelizar, ai de mim se não trabalhar”.

Esse “ai”, não é porque serei condenado, mas porque tomei consciência de que precisava, de que preciso, de que essa é a minha obrigação, essa é a minha responsabilidade.

Se a mãe, que terminou de cuidar do filho diz: “Nossa! Agora eu preciso ser reconhecida, pois cuidei do meu filho”. Ela fez o que é a obrigação de uma mãe fazer, o que é dever de mãe; outrora, diz o pai diz: “Agora eu preciso ganhar um prêmio, porque eu trabalho para colocar comida dentro de casa”. Ele está fazendo a sua obrigação de pai.

Cumpriremos melhor o que precisamos fazer, se deixarmos de viver em busca ou com “sede do mérito”, do reconhecimento e dos aplausos desse mundo.

Deus reconhece e recompensa, no Seu tempo, aquilo que fazemos para Sua glória.

Deus abençoe você!

 

 

 

Padre Roger Araújo


Encontrou erro? Encontrou algum erro? Informe-nos, clique aqui.

Veja também:








Anuncie Aqui
AS MAIS LIDAS

  MENSAGEM DE ANIVERSÁRIO DE 145 DE SÃO BENTO DO SUL
 
  Teste da biometria em São Bento do Sul reafirma segurança do processo eletrônico de votação
 
  Ministério da Educação libera R$ 8,9 milhões para obras emergenciais no Museu Nacional
 
  É #FAKE print de texto que diz que Jean Wyllys foi convidado por Haddad para ser ministro da Educaçã
 
  SANTO DO DIA: São Mateus, apóstolo e evangelista
 

Classificados
Clique aqui e envie seu anúncio gratuitamente.

 
37150208 acesso(s) até o momento.

Inicial   |   Notícias   |   Classificados   |   Colunistas   |   Sobre nós   |   Contato

© Copyright 2018 Jornal Evolução
by SAMUCA